Últimos assuntos
» Existe livre-arbítrio?
Ter Maio 27, 2014 9:28 am por Renato

» Forum Canal de HIstoria
Dom Fev 26, 2012 4:19 pm por Valisum

» Mudança nas atitudes dos encarregados de educação
Dom Nov 13, 2011 9:10 am por Renato

» Que é Deus? Ele existe? Como?
Sab Nov 12, 2011 7:33 am por Renato

» Darwin e a teoria da evolução
Seg Ago 15, 2011 8:06 pm por Varela

» Fórum Máscaras de Deus - Filosofia Oriental e Espiritualismo Prático
Seg Maio 23, 2011 3:59 am por Renato

» Alpha Centauri - Filosofia Oriental e Espiritualismo
Qui Abr 21, 2011 7:25 am por Renato

» Videos imperdiveis...
Sex Mar 11, 2011 1:06 pm por Renato

» Cartoons Engraçados
Dom Jan 30, 2011 9:18 pm por Renato

Partido Pelos Animais

Poemas de Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Poemas de Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

Mensagem  Renato em Dom Jan 30, 2011 8:06 pm

Dizes-me

Dizes-me: tu és mais alguma cousa
Que uma pedra ou uma planta.
Dizes-me: sentes, pensas e sabes
Que pensas e sentes.
Então as pedras escrevem versos?
Então as plantas têm idéias sobre o mundo?

Sim: há diferença.
Mas não é a diferença que encontras;
Porque o ter consciência não me obriga a ter teorias sobre as cousas:
Só me obriga a ser consciente.

Se sou mais que uma pedra ou uma planta? Não sei.
Sou diferente. Não sei o que é mais ou menos.

Ter consciência é mais que ter cor?
Pode ser e pode não ser.
Sei que é diferente apenas.
Ninguém pode provar que é mais que só diferente.

Sei que a pedra é a real, e que a planta existe.
Sei isto porque elas existem.
Sei isto porque os meus sentidos mo mostram.
Sei que sou real também.
Sei isto porque os meus sentidos mo mostram,
Embora com menos clareza que me mostram a pedra e a planta.
Não sei mais nada.

Sim, escrevo versos, e a pedra não escreve versos.
Sim, faço idéias sobre o mundo, e a planta nenhumas.
Mas é que as pedras não são poetas, são pedras;
E as plantas são plantas só, e não pensadores.
Tanto posso dizer que sou superior a elas por isto,

Como que sou inferior.
Mas não digo isso: digo da pedra, "é uma pedra",
Digo da planta, "é uma planta",
Digo de mim, "sou eu".
E não digo mais nada. Que mais há a dizer?


IN: Poemas Inconjuntos

avatar
Renato
Participante Dedicado
Participante Dedicado

Mensagens : 175
Data de inscrição : 27/06/2009
Idade : 47
Localização : Brasil

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum